sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Minha namorada dá para todos que conhece


Bom, meu nome é Lucas, tenho 18 anos e minha namorada Carla tem 17, ela tem 1,64m um corpo maravilhoso, cabelos pretos longos lisos e maravilhosos olhos verdes, uma cinturinha perfeita, coxas grossas, bumbum redondo e muito duro, seios de médios para grandes absurdamente firmes, ela só não conseguiu ser modelo por causa da altura.

Bom, eu moro em São Paulo em uma casa bem grande, já era quase final de ano, eu acabava de terminar o terceiro colegial, mas Carla havia ficado de recuperação no segundo colegial.
Um certo dia ela estava vindo pra casa de bicicleta, ela adora fazer exercícios, e o chefe do meu pai estava em casa esperando ele chegar para conversarem, de repente caiu uma forte chuva, eu até fiquei meio preocupado com Carla, pois sabia que ela estava no meio do caminho, mas logo parou e uns 5 minutos depois ela apareceu em casa, toda ensopada, ela estava com um shortinho azul curtissimo grudado, ele era meio claro, aparecia um pouco sua calcinha pois estava bem molhado, e ela estava com uma camiseta branca que ela mesmo cortou um pouco acima do umbigo pra ficar mais curta, estava toda molhada e grudada no seu corpo aparecendo quase todo o sutiã, não comentei nada, pois não fazia nem 1 mês que estavamos namorando, eu disse pra ela subir e ir se secar, mas nisso apareceu o gordo mala do chefe do meu pai e comentou coisas do tipo: Nossa que chuva hein, e voce se molhou toda hein hehehe... E por aí tava indo quando a Nelza, a empregada grita dizendo que era telefone pra mim, fui atender e os dois ficaram ali conversando, e ele não parava de secar ela com os olhos, é obvio.


Quando voltei, ela já havia subido, fui conversar com ela, ela disse que tinha deixado o material aqui em casa porque o Ricardo que é meu primo e está na classe dela iria passar aqui para irem estudar juntos para a recuperação, eu disse que tudo bem.
Não demorou nem meia-hora, ela nem conseguiu se secar direito e o Ricardo já estava buzinando lá na frente, ele tem 16 anos e anda de carro numa boa por aí, ainda mais com meu tio e minha tia que chegam só de noite do trabalho, ela pegou o material, entrou no carro e foram embora.
Um pouco mais de uma hora depois eu liguei na casa do Ricardo pra saber se eu ía buscar a Carla ou ele iria traze-la, chamou varias vezes e ninguem atendeu, tentei denovo, e dessa vez o Ricardo atendeu, ele disse que estavam muito compenetrados e nem ouviram o telefone, e ele mesmo traria ela aqui em casa.


Umas duas horas depois ele trouxe ela em casa, ela ficou só mais um pouco aqui e logo ela pegou a bicicleta e foi embora pra casa dela.
Ela foi na casa do Ricardo estudar quase toda a semana, mas no final de semana ele teve que ir a São Bernardo com meus tios e eu achei que ela fosse ficar estudando na casa dela ou aqui, mas me enganei. No sabado ela chegou aqui dizendo que iria estudar na casa do Leo, que é primo dela, está na mesma serie dela, mas não na mesma sala, ele tem 18 anos e já repetiu duas vezes, esse cara é um vagal que eu não vou muito com cara dele, mas é primo dela, não posso fazer nada, ela disse que iriam estudar em grupo, que iriam mais duas amigas dela e mais um cara, o Leo chegou com seu Vectra todo fuçado, ela entrou e foram embora. Duas horas depois eu liguei lá com a mesma desculpa da vez que liguei pro Ricardo, entao a empregada atendeu, eu pedi para chamar a Carla, pelo jeito estavam estudando no quarto do Leo e a porta era ali do lado, ela bateu na porta, deu pra ouvir o Leo dizendo: O que foi porra, não falei pra não atrapalhar, nós estamos estudando! A empregada: É o Lucas quer falar com a Carla! Leo: Fala pra ele que depois ela liga, que agora nós estamos estudando e é coisa seria. Ela voltou pro telefone e me disse tudo aquilo que eu ouvi, eu perguntei quem estava na casa, ela disse que só os dois, perguntei mais e ela disse que os pais do Leo já estavam viajando desde Sexta e não tinha mais nenhum amigo ou amiga deles ali, só eles. Achei aquilo muito estranho, mas esperei pra falar com ela.


No dia seguinte, acabamos brigando porque eu fiquei bravo com aquilo, ela me disse que os outros marcaram de aparecer na casa do Leo mas não foram, eu disse que não gostei e ficamos discutindo muito, acabamos achando melhor dar um tempo no namoro.


E nós já tinhamos pago para uma semana depois, uma excursão para o Guaruja, entramos no onibus e apenas nos cumprimentamos como amigos, como vinhamos fazendo desde a briga.
Na viagem ela acabou ficando com o cara que estava sentado do lado dela, eles foram se beijando a viagem toda.
A Lucia, a melhor amiga dela e que por acaso é uma loirinha gostosissima com seios enormes foi também na excursão, no ônibus eles combinaram de sortear quem iria ficar com quem nos quartos, pois era para duas pessoas, acharam legal a brincadeira e fizeram, a coitada da Lucia teve o azar de cair com o cara que foi xavecando ela a viagem toda mas ela só despistava, e a Carla caiu com uma gordinha que ela achava meio tonta, eu acabei ficando junto com o Evandro, um gordo esquisito.


Chegando no hotel, todo mundo deixou suas coisas no quarto e foram para a praia, menos a Carla que estava atrás do cara que tinha caído no mesmo quarto da Lucia, eu fui seguindo de longe, ele estava na parte onde uma piscina aquecida estava sendo construída, ele estava atrás de uma parede bem escondido dali dava pra ter uma vista legal da praia, e ela viu ele entrando e foi até lá, eu dei a volta e fui do outro lado, fiquei olhando por um espaço entre uma madeira e outra, ela disse:
Oi tudo bem?
Tudo e você?
Tudo ótimo! Você é que está no quarto da Lucia, não é?
Sim sou eu sim, porque?
Ah, você não quer trocar comigo?
Vixi, eu atrás da Lucia já faz um tempo e você está com aquela gorda lá, ahh sem chances hehehe.
Ahh, por favor vai, eu preciso ficar junto com ela, assim agente combina as coisas e tal, ela é muito amiga minha, por favor, ah pede qualquer coisa que eu faço! hehe (ela disse isso com um tom de brincadeira)


Certo, então bate uma punheta pra mim agora! heheeh (ele pois a mão no pinto e disse com mais tom de brincadeira ainda), quando ele ia dizer: é brincadeira, ela disse:
Tudo bem, abaixa o short e encosta aí na parede!
Ele meio que sem acreditar, ainda duvidando, fazendo cara de espanto, abaixou o short e encostou na parede, o pau dele ficou duro na hora, mas era meio pequeno, ela deu uma olhada para os lados, pegou no pau dele e começou a bater uma punheta pra ele, toda hora ela olhava para os lados, não deu nem 5 minutos e ele gozou, acabaram combinando de trocar de quarto e assim foi feito. Ela ainda saiu zuando com ele, dizendo que o pau dele era minúsculo. Eles saíram dali e eu fiquei ali ainda por um tempo, meio perdido e mais sem acreditar do que o cara.


Eu fui para o quarto furioso, abaixei o short, sentei na cama, imaginei uma garota super gata e comecei a bater punheta, eu tinha mal começado, a TV estava ligada, não ouvi e o cara que estava comigo no quarto entrou, só fui abrir os olhos quando ele já estava de joelhos com a cabeça entre as minhas pernas, tirando as minhas mãos e abocanhando meu pau, eu assustei e empurrei a cabeça dele, mas ele segurou na minha cintura e engoliu meu pau todo, eu ainda com as mãos na cabeça dele, estava achando aquilo meio maluco, mas estava muito gostoso, nunca ninguém tinha chupado meu pau, mas o maldito deixou a porta aberta, e um cara que não era da excursão, olhou pelo corredor e viu a cena, mas eu só fui perceber isso quando ele já estava do nosso lado e disparando 3 fotos seguidas, eu nem tive tempo de subir o short, o viado já saiu correndo atrás do cara, eu fui atrás deles, desceram correndo as escadas feito loucos, e eu ainda os seguia, chegando no saguão do hotel, o viado agarrou o cara, e a maquina fotográfica caiu no chão, caiu do lado do gerente do hotel que é um gordao nojento, ele pegou a maquina, segurou ela por um tempo, aí os dois voaram nele para pegar, quase derrubaram ele e a maquina caiu no chão de novo, eu corri, peguei a maquina e desapareci dali, cheguei no quarto, abri a maquina para destruir o filme e para a minha surpresa não tinha filme, levei um tempo mas pensei: O maldito do gerente pegou o filme quando segurou a maquina !


Ouvi um barulho na porta, era o viado do meu quarto, eu joguei ela no lixo na hora e ele me viu e disse: Ainda bem que você pegou a câmera. Cadê ela?
Eu disse: Destruí, joguei o filme no vaso e dei descarga.
Ele fez cara de alivio e saiu dali como se nada tivesse acontecido. Mas eu não estava nem um pouco aliviado e passei o dia pensando naquilo.
A única coisa que me deixou melhor, foi que Carla veio conversar comigo, dizendo que estava se sentindo muito sozinha e que queria voltar comigo, eu ainda meio atordoado, voltei com ela.


Mas ela ainda continuava no quarto com a Lucia e eu ainda com o Evandro, aquele maldito viado, eu dava umas indiretas, dormia pelado, saía pelado do banho, e nada, ele nem mais comentou nada sobre fazer uma chupeta pra mim.


Na tarde seguinte eu estava muito cansado e com preguiça, acabei ficando no quarto enquanto Carla foi com a Lucia na praia, e o Evandro também tinha saído, ouvi um barulho na porta, fui ver e tinha um envelope debaixo da porta, peguei o envelope e abri a porta, não vi ninguém, fechei a porta e abri ele, lá estavam as 3 fotos do Evandro chupando meu pau, e tinha um bilhete dizendo: Meu nome é Ernesto, sou o gerente do Hotel, se você quer continuar aqui sem que eu te expulse por ato leviano em publico, e ainda mais se não quer que seus amigos ou sua namorada vejam essas fotos, aí vai a ordem, estou pensando em umas coisas e vendo com uns amigos uns lances, por isso não proíba nenhum homem, certo? Nenhum homem de chegar perto ou fazer o que bem entender com a sua namorada, pois se você impedir isso, já sabe o que vai acontecer, estarei te observando.
E ainda tinham agradecimentos no final do bilhete, eu sentei no chão, sem acreditar naquilo e chorei de desespero e raiva, pois afinal de contas, eu não podia fazer nada mesmo, pois isso seria meu fim!


Acabei indo para a praia na hora, quando cheguei lá, Carla e Lucia estavam deitadas tomando sol (elas usam o mesmo bikini, é um branco bem curto de lacinhos, idêntico ao que a feiticeira usa) e no guarda sol do lado quatro caras bem grandes daqueles fortões, ficavam comentando e paquerando elas, dei uma olhada para a porta do hotel e lá estava o gerente desgraçado me olhando, quando eu estava chegando na areia, um dos caras se sentou do lado da Carla e começou a conversar com ela, eu parei e fiquei observando, os outros três também se sentaram com elas e ficaram ali conversando, eu fui até lá, cumprimentei elas e também os caras, falei apenas oi, até para a Carla, e ela também me disse oi normal, eu ainda estava meio tonto com tudo que estava acontecendo, quando Carla pegou o bronzeador apontou pra mim e disse: Passa em mim?
O cara sem saber que eu era namorado dela, pegou o bronzeador e disse: Deixa que eu passo!
Ela olhou pra mim meio assustada, e eu vi o gerente lá me olhando do outro lado da rua e disse: Ah, isso, ele passa Carla, eu vou no Shopping com o Evandro para ver umas coisas.


Ela fez uma cara de assustada, não entendeu muita coisa, virou-se de barriga pra baixo e o cara começou a passar nas costas dela, eu saí dali e fui até o guarda sol do lado e fiquei atrás do carrinho de água de côco, os outros três caras, conversavam com Lucia e o cara do bronzeador disse alguma coisa para a Carla, parecia que era sobre o bikini que estava atrapalhando passar nas costas, eu ouvia apenas alguma coisa, ela disse alguma coisa pra ele, e ainda deitada, desamarrou o nó das costas, e assim o cara passava o bronzeador nas costas dela, ela sempre deixava as costas livres assim para tomar sol, mas não com um cara passando bronzeador nela, depois ele começou a comentar sobre passar no resto, ela disse que só nas pernas, na bunda não e deram risadas, ele passava bastante e apertava muito a parte de traz das coxas dela, depois ela amarrou o bikini denovo, se levantou e passou na bunda, se deitou denovo e ficou ali tomando sol, eles ficaram um bom tempo conversando, depois eles saíram e foram até o hotel, estavam indo para aquela parte que está em construção, eu fui atraz deles, fiquei naquele mesmo lugar, eles chegaram ali e começaram a se beijar, ele passava a mão nela mas ficou só nisso, falaram alguma coisa que eu não entendi e ele foi embora.


Acabou ficando tudo por isso mesmo nesse dia, quando um cara magrinho que devia ter uns 13 anos no máximo, chegou em mim e disse:
E aí cara, beleza?
Tudo bom e você?
Opa, tudo na paz, você é o namorado da Carlinha, não é?
Sou sim, porque? De onde você conhece ela?
Ah, meu tio é o gerente do Hotel, ele pediu para eu entregar pra ela esse convite com direito a tudo de graça para a festa que vai ter esse final de semana aqui e assim eu posso pedir alguma coisa pra ela, é verdade? É verdade que os outros metem nela e ela acha que você não sabe de nada, mas você sabe de tudo e não fala nada?


Eu achei ele absurdamente petulante para um moleque dessa idade, fechei a mão, ia dar um soco na cara dele com força, mas me lembrei do gerente que era Tio dele e disse:
É, é isso mesmo, mas não fala nada pra ela que eu sei disso, ela precisa continuar achando que eu não sei de nada.
E pensei: Afinal, se ela ficar sabendo disso, o gerente também irá saber e minhas fotos vão rolar por aí.
Ele deu muita risada e disse que estava indo lá ver ela, que ia fazer ela chupar o pau dele.
Eu peguei o outro elevador e fui para o meu quarto, fui até a sacada e li o aviso que pedia para os hospedes deixarem as portas das sacadas sempre trancadas, pois uma sacada era muito perto da outra, só que pelo visto a Carla e a Lucia não se preocupavam com isso, subi na grade da sacada e pulei caindo meio torto na sacada do quarto delas, Carla estava entrando no chuveiro e a Lucia estava se trocando no banheiro, eu tentei ver ela pelada, mas só consegui ver as pernas.


Me lembrei que ontem eu tinha ido com Carla nesse quarto e que tinham dois armários, mas eram muito grandes, e um deles elas deixaram vazio, eu fui bem de mansinho, abri a porta dele e entrei, ele é daqueles de madeiras finas brancas uma encima da outra na horizontal, com isso consigo ver tudo entre uma e outra, mas eu só via a cama, a sacada e a TV, o banheiro ficava atrás, alguém estava batendo na porta já fazia mais de 1 minuto, a Lucia foi ver quem era, reconheci a voz, e era o moleque, realmente ele tinha vindo, ele disse que veio ver a Carla, então a Lucia disse para ele esperar ela sair do banho, que ele podia ficar a vontade, porque ela estava saindo, ele ficou ali sentado na cama vendo TV e a Carla enfim saiu do banho e apareceu só de toalha que quase aparecia a bunda, e disse: Junior! Oi o que você está fazendo aqui?
Oi Carlinha, meu tio, o gerente, achou você muito bonita e quis ter certeza que você iria na festa desse final de semana e mandou esse convite pra você.
Ahhhh que legal, brigadao Juninho, seu tio é um amor, e você também é.
Nossa, mas já é amanha essa festa?
É sim, amanha de noite no salão de festas, Festa da roupa de banho , homens vão de sunga e mulheres de bikini.
Ahhh muito legal, mas eu estou tão dolorida, passei a tarde fazendo exercícios, tomara que eu esteja melhor amanha.
Ah, eu sei fazer massagem, aprendi com a minha mãe, quer que eu faça?
Nossa, quero sim claro. hehe


Ela se deitou na cama de barriga pra baixo, desenrolou a toalha, e deixou cobrindo apenas a bunda dela, as pernas e as costas livres, ele que estava só de sunga, deu pra ver o volume na sunga dele, um pau pequeno pelo jeito, afinal ele era menor que ela.
Mas ele se sentou do lado dela na cama e começou a fazer massagem nas costas dela, logo ele disse: É, ta meio torto assim, pode não ficar tão bom.
Ah Juninho, senta onde você achar melhor, ta muito bom sim,
Tudo bem então.


Ele se ajoelhou colocando os joelhos na cama um de cada lado dela, com o pau quase na altura da bunda dela, e continuou a massagem, em umas das vezes que ele desceu para fazer nas coxas dela, ele abaixou a sunga, eu sabia que estava demorando, e o pau dele já estava duro, ela estava adorando, mas pela cara já estava quase para dormir, foi quando ele tirou a toalha dela, segurou na cintura dela, e em uma investida, enfiou o pau nela, era muito pequeno, mas ela assustou gritou e tentou virar, mas ele agarrou ela com força e enfiava o resto nela, ela disse assustada:
Juninho! o que é isso? O que você ta fazendo? Ta louco menino?
Como assim oque eu to fazendo, eu vou te foder, coisa que aquele seu namorado corno não faz.
Não, não, para, para já com isso. (ela dizia isso, mas já se mexia menos)
Ahh Carlinha, deixa vai, por favor, ta tão gostoso, e você é tão gostosa.
Hummmm, ta bom, ta bom, só um pouquinho e rapidinho, continua vai.
Em menos de dez minutos ele gozou, por modo de dizer, porque pelo jeito ele ainda não gozava, ela se enrolou na toalha denovo, mas ele continuava com o pintinho duro pra fora, ela ria, mas ele ia pra cima dela e tentava apalpar os seios dela e ela dizia:
Chega Juninho! Chega, já fez o que queria, agora vai embora, que você é muito novinho pra ser tão safado assim, ele não queria ir, mas acabou saindo.


Ela ainda estava tentando colocar ele para fora na porta, e eu saí do quarda-roupas, fui para a sacada e voltei pro meu quarto, resolvi ir la embaixo dar uma esfriada na cabeça, quando fui entrar no elevador que já estava se fechando, eu encontro o maldito Juninho que já estava la dentro, ele olha pra mim e diz:


Adivinha o que eu acabei de fazer agora cara? Você não vai acreditar! Eu acabei de comer sua namorada, sério, mas pena que foi rapidinho, e eu só consegui ver a bunda gostosa dela, nem consegui ver os seios e ela nem chupou meu pau, mas da próxima eu prometo que faço ela me chupar, vou fazer tudo isso e ainda vou comer a bundinha dela.
O que eu mais queria era me descontrolar e matar aquele moleque de tanto bater na cara dele, mas acabei ficando na minha, só esperando a minha vingança.


Ele ficava rindo e saiu todo alegre do elevador dizendo: Falo corninho, até mais.
Fiquei ali embaixo um pouco e vi a Carla chegando e conversando com o maldito gordo Gerente, provavelmente agradecendo o convite para a festa, mas eles acabaram ficando uns 10 minutos conversando, depois ela me viu ali e fomos juntos para a praia, mas eu não estava com roupa de banho, ela estava com o bikini por baixo, então eu fiquei no guarda-sol e ela foi para a água, com um monte de marmanjos por perto é claro.


Bom, passaram-se três dias e a única coisa que eu vi foi ela ficando com aquele fortão da praia de novo, nada mais. Então chegou o dia da festa, ela foi com aquele seu clássico bikini e eu fui de short, normal. Estávamos la dentro e ela logo grudou na Lucia e saíram dali, eu acabei tendo que ficar conversando com o Evandro, estávamos conversando e ele pegou no meu pau, eu levei um puta susto e tirei a mão dele dali, então ele me explicou que não é gay, mas ele é bissexual, por isso aqueles dias que eu dormia pelado ele não fazia nada, porque ele estava com vontade de comer uma garota, ele me explicou tudo certinho. Ali ele passava a mão na bunda dos homens, das garotas, nossa tava uma bagunça, eu até achava engraçado.


Já estava ficando muito tarde e eu não achava mais a Carla por ali, então eu saí dali e fui até o saguão, e aquilo parecia um filme de faroeste, completamente deserto, estavam realmente todos na festa, foi quando eu ouvi um barulho que parecia um grito vindo da sala do gerente, fui até lá, girei a maçaneta bem devagar mas a porta estava trancada, então fui até a janelinha de vidro, mas tinha veneziana que ficavam do lado de dentro, então achei um pequeno espaço entre uma veneziana e outra, então o que eu temia eu vi, a Carla estava de quatro no chão, e o gerente estava metendo nela, pelo jeito que ela escorregava com as mãos dava pra perceber que ela estava muito bêbada, fiquei olhando aquilo e logo ele gozou, foi tirar pra gozar na cara dela, (era o que ele queria) mas não deu tempo e ele gozou no chão. Ele se vestiu, e ela colocou o bikini, o bico de um seio ficou aparecendo mas ele nem falou nada, mandou ela ir primeiro para não desconfiarem, fiquei no canto do corredor e esperei ela entrar na festa toda cambaleando.


Então eu fui atrás, mas o gerente saiu da porta, aquele gordo nojento, estava subindo o zíper, ele olhou pra mim e disse: Olha só quem esta por aqui, é isso mesmo que você está pensando, eu estava comendo a sua namoradinha querida, nossa, como ela é gostosinha hein, que bucetinha gostosa, mas calma que ainda vou fazer muito mais coisas com ela, prefiro não arriscar hoje por causa da festa, e tem outra coisa, se você está achando que pode impedir alguma coisa de alguém fazer com ela só porque eu não estou vendo você está enganado, se você impedir alguma coisa, brigar com ela, ou qualquer outra coisa eu vou ficar sabendo porque estou conversando com ela e vou perguntar, e é bom ela continuar achando que você não sabe de nada, porque senão essas suas maravilhosas fotos vão rolar pelo mundo. hehehe


Então ele foi em direção ao salão da festa e eu fui depois querendo matar aquele filho da puta. Chegando na festa eu fui onde estava o Evandro, e ele estava conversando com a Carla que estava completamente bêbada, ele não tirava os olhos do bico do seio dela que estava aparecendo e eu percebi logo no short dele que ele estava de pau duro e estava claramente xavecando ela, quando passou um cara por traz do Evandro chegou nela e disse: Com licença moça, mas seu bikini está torto, deixa eu arrumar aqui pra você. Então ele arrumou mas puxando contra a direção dele, e com isso ele viu todo o seio dela. Ela toda desnorteada ainda agradeceu, com isso ele teve a capacidade de dar um tapinha na bunda dela e foi embora.


O Evandro continuava xavecando ela, nisso um monte de caras passavam a mão na bunda dela, eu tentei ficar por perto para ouvir o que eles diziam, mas eu ouvia pouca coisa, até que a Lucia apareceu pedindo uma coisa pra ela, mas me parece que ela tinha deixado no quarto, então ela disse que ia buscar, o Evandro foi com ela, eu tratei de ir logo na frente, peguei o elevador e fui até meu quarto correndo muito, pulei da minha sacada para a dela, mas por causa de um maldito casal de velhinhos eu acabei demorando e pulei na sacada dela, olhei pelo canto a Carla estava deitada com as pernas abertas e ele já comendo ela dando fortes estocadas, beijando e chupando os seios dela com muita força, depois ele começou a dizer: Ahhh gostosa, seu namorado está lá todo perdido na festa e você aqui dando pra mim, ahhhh eu vou gozar, vou gozar dentro de você minha putinha gostosa, ahhhhhh. E acabou gozando dentro dela, depois ele tentou vira-la para comer a bundinha dela, mas ela se debatia e não deixava, ela colocou o bikini, e quando eles já estavam na porta para irem embora, ele abaixou o short e tirou a parte de baixo do bikini dela, e meteram mais uma vez ali na porta.


Voltando para a festa eu encontrei ela la e ela ficou conversando comigo como se nada tivesse acontecido. Aí o Evandro apareceu e mandou eu tomar conta da minha namorada, que tinha muita gente dando encima dela e deu umas risadas, dava pra ver que o pau dele ainda estava duro. Fiquei por ali parado vendo as coisas e ela foi conversar com as amigas, logo ela já estava muito bêbada. Então ela veio até mim e disse que ia no quarto guardar um negocio da Lucia, mas ela mal conseguia montar uma frase de tão bêbada, quando eu disse que ia com ela, aquele pivete maldito aparece e diz: Oi Carlinha, deixa que eu vou com você, seu namorado pode ficar aí curtindo a festa, eu trago ela de volta viu, pode deixar.


Ela agradeceu e eles foram para o elevador, esperei eles entrarem e entrei no próximo, fiz a mesma coisa chegando lá e pulei para a sacada dela, ela estava deitada de barriga pra cima na cama com os braços abertos, ele já estava pelado com o pintinho duro, ele subiu encima dela na cama, ele colocou os joelhos um de cada lado da cabeça dela, colocou o pau na cara dela e mandou ela chupar, ela dizia que não, toda mole, em uma das vezes que ela disse não ele enfiou o pau na boca dela, então meio devagar ela começou a chupar o pau dele, mas ele ia pra frente e pra trás como se estivesse fudendo a boca dela, depois ele tirou todo o bikini dela, abriu as pernas dela e começou a meter, ela dava pequenos gemidos, mas como ele era baixinho, a boca dele ficava na altura dos seios dela, então ele ficava dando estocadas nela segurando ela pela cintura e chupando os seios dela com muita vontade, ele virou ela de bunda pra cima e disse: Carlinha, você já chupou meu pau, eu já chupei essas suas tetas gostosas, já meti na sua buceta, e agora eu vou fuder essa sua bunda gostosa. Ela mal pôde dizer alguma coisa e ele já tinha enfiado o pau na bunda dela, ele enfiou inteiro, ela dava mais alguns gemidos, ele gostou tanto daquilo que ficou ali quase meia-hora metendo no cuzinho dela. Depois ele foi embora e ela ficou ali dormindo.


O problema nos dois proximos dias era o Seu Arlindo, o senhor que cuidava da saída para a praia, um cearense que devia ter uns sessenta e poucos anos e vivia puxando conversa com a Carla, e sempre brincando com ela, brincando com o fato de ela ser muito bonita e etc.
Sempre que passávamos pela guarita dele, ele cumprimentava ela e depois que estávamos na frente, lá estava ele na porta olhando a bunda dela.


Nesse dia ela estava na praia com o pessoal que conheceu estava bebendo muita cerveja, eu estava olhando tudo da sacada do meu quarto, é bem pertinho, ela estava voltando para o hotel, quando ela passou pela guarita do Seu Arlindo ela tropeçou e caiu, ele logo saiu e levantou a Carla, disse algo com um funcionário dali e ele tomou seu lugar na guarita, pois Seu Arlindo veio trazendo a Carla pra dentro, desci rapidamente.


Logo Seu Arlindo entrou segurando a Carla, mas ele vinha com o braço por debaixo do braço dela e vinha com a mão no seio dela, ela estava um pouco bêbada, eles entraram e ela desabou na cama dizendo que na estava muito bem e estava rindo muito, quando de repente Seu Arlindo disse diretamente:
Carla, posso te comer?
O que o senhor disse?
Isso mesmo que você ouviu, estou louco para te comer.
Hahahahaha, o senhor só pode estar brincando, não é?
Não estou não, e seu namorado tem cara de corno, não custa nada, é rapidinho vai.
Ahhhh, só me faltava essa, um velho tarado, e por acaso o pau do senhor levanta?
Ele não disse nada, abriu o zíper da calça e colocou aquele pau mole pra fora e disse:
Se você fizer o carinho certo ele levanta sim.
Hahahaha, que coisa feia, só acredito vendo.


Então ela começou a alisar o pau dele que estava muito mole, começou a endurecer um pouco, mas ainda continuava caído, então ela disse:
Eu não disse, é só isso que ele levanta?
Claro que não, é que está faltando a chupetinha!
Com uma cara de nojo ela comecou a lamber e chupar o pau dele, quando ela começou a se empolgar e chupar bem rápido, o pau dele já estava estourando de duro dentro da boca dela, nessa hora, ele levantou a Carla, virou e colocou ela de quatro apoiada na cama, abaixou o bikini dela de uma só vez, segurou na cintura dela e mandou a vara na bucetinha dela dizendo:


Quero te fuder de quatro, igual uma cadelinha, onde já se viu, uma menininha de 16 anos dando pra mim, chega de punheta vou te comer todo dia, o pessoal do hotel não vai nem acreditar que eu comi a menina mais gostosa daqui, e aquele seu namorado corno nem imagina que a gostosinha dele está dando pra mim, assim tão gostoso de quatro.


Ela gemia muito, e ele enfiava tudo e ficava apertando os seios dela. Ficaram nisso por um bom tempo, depois ele foi embora.
E continua ...

Um comentário:

  1. coitado desse filha-da-puta-corno...com um mulherão desses que todo mundo come só ele que não,acho que nos próximos contos ele vai relatar que começou a dar o cú pro tal de Evandro,e isso é a coisa mais certa que ele pode fazer:Tem que dar o cú mesmo se gosta de ser corno....se eu encontrasse os dois na rua eu comeria o cuzinho dela na frente dele depois tirava meu pau todo melado de merda e dizia pra esse cornoviado chupar até deixar bem limpinho!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...