quarta-feira, 22 de julho de 2009

A esposa fiel

Não sei o que deu em mim. Sempre fui fiel e de repente virei uma putinha. Nunca tinha traído e nem sentido vontade de trair meu marido até conhecer o Jorge naquela maldita viagem de negócios que acompanhei meu marido.
Ele saía para as suas reuniões e eu ficava na piscina do hotel. Tenho um corpo bonito e sou uma mulher atraente, e é claro que os carinhas ficavam me olhando até que o Jorge veio se apresentar.

Ficamos conversando na beira da piscina e ele sempre olhando para meu corpo e tentando entrar em conversas mais intimas e picantes. Ficava também alisando seu membro por cima da sunga e claro que ele ficou duro, o que fez com que eu começasse a ficar um pouco excitada.
Resolvi entrar na piscina pra acalmar um pouco mas ele, muito atrevido, veio atrás e não é que me abraçou por trás e me fez sentir seu pau encostar na minha bunda!!!!

Fiquei nervosa e assustada com o atrevimento dele e tentei me desvinciliar, mas ele me apertou mais forte ainda contra seu corpo e disse baixinho no meu ouvido:
- Curte o momento bobinha.... faz tempo vc não sente o membro de outro homem , não é??
- E o que te leva a imaginar isso? – perguntei.
- Apenas adivinhei, não é verdade? – ele respondeu sorrindo.

Só aí que percebi que durante o dialogo eu tinha parado de tentar me desvinciliar dele e ele continuava encostado na minha bunda com o pau duro. Pior, começou a roçar suas coxas na minha e aquilo começou a me excitar de verdade.
- Pára Jorge, meu marido pode chegar a qualquer momento.
- Então vamos para meu quarto.
- Vc esta louco? Nunca trai meu marido. – respondi.
- Sempre tem a primeira vez bobinha, aposto que vc esta molhadinha.
Ele disse isso e imediatamente procurou minha xaninha por baixo de meu biquíni.

Tentei jogar minha bunda pra trás mas estava grudada nele e ele acabou conseguindo sentir que eu realmente estava molhada e o pior é que ele passando o dedo nela me deixou com mais tesão ainda. Estava ofegante já.
Ele então com a outra mão, levou minha mão até seu pau por cima da sunga dele. Perdi o controle da situação e apertei aquele membro que parecia maior que do meu marido.
- Acho melhor a gente subir. É mais seguro. – ele disse quase lambendo minha orelha.

Eu nunca tinha ficado naquele estado de excitação antes. Eu o segui como uma cachorrinha e acabamos no quarto dele.
Mal chegamos ele me despiu e caiu de boca nos meus seios e na minha buceta. Eu estava praticamente entregue a ele. Só sentia um tesão enorme e abri minhas pernas e me entreguei sem pudor.

Ele chupou meu grelinho, lambeu minha buceta todinha. Me deixou de quatro e lambeu meu cuzinho. Enfiava a língua em meu cuzinho enquanto masturbava meu grelinho.
Eu gemia, urrava, supirava, gozei feito uma cadela na boca dele.
Depois que eu gozei ele me sentou na beirada da cama e ficou em pé na minha frente e ordenou :
- Agora chupa meu pau sua vadiazinha.

Obedeci sem reparar que estava completamente descontrolada. Enfiei seu pau, ou o que coube dele, na minha boca, e chupei gostoso aquela pica enorme.
Ele segurava meus cabelos e começou a foder minha boca. As vezes o pau dele chegava na minha garganta e quase me afogava, mas meu tesão era incontrolável.

Ele me colocou então de quatro, me segurou pela cintura e atolou, sem dó, aquele pau enorme de uma vez só na minha buceta. Gritei de dor, mas logo era só tesão. Minha bucetinha estava encharcada de prazer e preenchida pelo pau dele.

Ele dizia :
- Fode minha putinha.... mete gostoso.... pede pelo meu pau.... pede vadia....
Eu devo ter perdido o juízo porque me lembro que eu dizia coisas que nunca tinha dito antes :
- Me fode Jorge.... quero seu pau.... mete na sua puta.... mete nessa vagabunda.... mete meu tesão....
- Toma cadelinha.... sente meu cacecte nessa buceta.... rebola no meu pau putinha vadia.... toma....

Ele me xingava e batia na minha bunda deixando vergões que tive que esconder de meu marido, ou seja, não pude trepar com ele de quatro por uns 3 dias.
- Vamos vadia.... vou te encher de porra.... vou encher essa buceta de porra.... quero que seu corninho lamba minha porra em vc....
- Me dá Jorge.... me dá sua porra.... me dá cachorrão.... goza safado....

Dessa vez gozamos juntos. Eu gritava de tesão que até a recepção ligou no quarto por reclamações de hospedes que deviam ser vizinhos de quarto.


No banho Jorge ensaboou minha bundinha e me mandou apoiar na parede e enterrou seu pau no meu cuzinho. Meu marido até então só tinha colocado a cabecinha porque doía muito, mas o Jorge me dexou descontrolada. Ele me masturbava enquanto me enrabava e aquilo fazia desaparecer a dor. E nem acreditei que acabei gozando com ele comendo meu cu. Foi demais. Minhas pernas amoleceram e eu tive que me ajoelhar no banheiro pra não cair.

Como ele ainda não tinha gozado ele me fez limpar o pau dele que estava meio sujo de meu intestino e depois chupar até ele gozar na minha boca. E ainda ordenou:
- Engole toda minha porra vadia.... todinha.... quero que vc lamba ate a ultima gota....safada....
Foi o que eu fiz. Fiz naquele dia e nos 3 dias seguintes que ainda ficamos no hotel.
A noite meu marido as vezes me comia também, mas eu só pensava no Jorge.


Voltamos pra S.Paulo e como o Jorge morava no nordeste, acabou-se a festa. Mas eu tinha virado uma putinha. Sentia tesão o dia todo. Claro que não demorei pra encontrar outro macho pra mim. Pior que hoje tenho 2 amantes e já saí com os dois juntos.

Uma esposa dedicada e fiel se transformou numa vadia por causa de 5 dias de viagem de negócio do marido. Por isso cuidado quando levarem suas esposas em viagens de negócios.

Um comentário:

  1. Pois é um cuidado que não pretendo tomar, pois quero minha esposa como vc, Lerras, cheia de tesão pelos amantes e eu chegando em casa, chupando a xaninha dela, esporreada, e depois comendo-a, deliciosamente. Continue feliz e fazendo a felicidade do maridão.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...